Agroecologia a profissão do futuro

Agroecologia a profissao do futuro sustentavel

Com o aumento da preocupação com o meio ambiente e com a busca por alternativas que sejam autossustentáveis, profissões tradicionais começam a se adaptar a essa nova realidade ou novos profissionais começam a surgir, aprendendo desde a entrada na universidade a importância de se trabalhar sem agredir a natureza.

Engenheiros que, ao idealizarem e trabalharem em uma obra verificam o local para saber se a flora ou a fauna não sofrerão com a interferência do homem e bioquímicos que, ao trabalharem em uma fórmula, farão o máximo para que a extração da composição não seja de maneira abusiva ou extrativista em demasia.

Os exemplos acima são apenas alguns dos vários que existem e que surgem com cada vez mais frequência.

Profissões como engenharia ambiental, gestor de resíduos, especialista em energias renováveis ou alternativas e gestão ambiental têm crescido de maneira exponencial e chamado à atenção dos calouros.

Uma dessas profissões do futuro é a agroecologia

Especialmente no Brasil, essa profissão tem um papel importantíssimo, pois, sendo um país que tem na agricultura um dos seus pontos fortes economicamente, um profissional que consiga mesclar essa área com a ecologia é de suma importância.

Para saber como a Agroecologia está impulsionando o mercado de produtos orgânicos no Brasil veja nosso artigo sobre o tema.

http://www.sitiopema.com.br/crescimento-agroecologia-e-mercado-organicos/

Com o bacharelado em agroecologia, o profissional é capaz de monitorar, planejar e executar os sistemas agrícolas, principalmente quando se refere à produção.

O diferencial é que ele faz o que foi citado acima sem prejudicar o meio ambiente. Outro foco é a sustentabilidade, seja ela ambiental, econômica ou social.


Ao trabalhar em uma propriedade rural, seu trabalho pode ser com relação ao uso do agrotóxico ou a cadeia produtiva, levando em conta as características da região, sejam culturais ou socioeconômicas.

Além disso, existe campo para a atuação em cooperativas e ONGs.

Quando se deseja tornar-se servidor público, as secretarias municipais ou estaduais de meio ambiente são uma boa escolha.

Como tornar-se um profissional em agroecologia

Para ingressar na carreira em agroecologia existem dois caminhos: o bacharelado e a tecnologia.

No caso do bacharel, são 5 anos de estudo, as aulas são teóricas e práticas, e normalmente é período integral.

Pode-se estudar áreas diversificadas como economia, gestão, botânica, zoologia, grãos, matérias orgânicas e mudas. Estágio e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) são obrigatórios para se formar.

O tecnólogo, por outro lado, termina sua graduação em 3 anos e estuda disciplinas como física, química, administração e biologia.

Matérias específicas como produção sustentável e extensão rural estão presentes.

Após de formado o profissional graduado em agroecologia é chamado de agroecólogos.

Uma das suas características que o diferenciam do bacharel, é que as disciplinas podem ser adaptadas para a região em que o curso é oferecido, principalmente a questão socioeconômica.

O mercado de trabalho encontra-se em expansão e um dos motivos é a necessidade de se alimentar de maneira mais saudável.

E isso acontece primeiramente na plantação. Os alimentos orgânicos estão ainda nas mãos de pequenos produtores.

Por isso os agroecólogos  são contratados para realizarem a transição para um modelo de plantio mais ecológico, além de ajudar no planejamento das lavouras.

Para que se consiga atender a demanda sem que se prejudique a natureza, é necessário que as profissões já existentes consigam inovar-se e agregarem o conceito de sustentabilidade no dia a dia.