Agroecólogo o profissional em Agroecologia no desenvolvimento sustentável

agroecologo o profissional em agroecologia

Boas práticas ambientais sempre foram muito importantes para a preservação do planeta e de todos os seres que habitam nele, inclusive os seres humanos, por isso, buscar alternativas e estudos para aprimorar ainda mais técnicas sustentáveis é um bom caminho para manter em ordem o planeta e todo o seu funcionamento.

Uma das áreas de estudo que tem por caminho e objetivo monitorar e planejar, na agronomia, meios para viabilizar a sustentabilidade é a agroecologia, que se fundamenta no planejamento, monitoramento e execução dos sistemas agropecuários, focado em práticas que não agridem o meio ambiente e promovem novos meios de desenvolvimento sustentável social, ambiental e cultural.

O tamanho do mercado de agroecologia

Somente em 2016 o setor de produção orgânica cresceu 20%, com faturamento em torno de R$ 3 bilhões e a estimativa do Conselho Nacional da Produção Orgânica e Sustentável é que apresente nova evolução chegue a 30% em 2017.

Para saber mais sobre o tamanho do mercado veja o artigo “O crescimento da agroecologia impulsiona o mercado de orgânicos.”

Esse profissional se apoia nas boas práticas ambientais no ramo da agropecuária e busca formas de transição do modelo convencional da agricultura, que se utiliza dos chamados defensivos agrícolas, como agrotóxicos, para modelos pensados no desenvolvimento sustentável e agroecológicos.

Onde trabalhar com agroecologia

O agroecólogo pode trabalhar em diversos locais como cooperativas, pequenas propriedades com agricultura familiar, organizações não governamentais, além de secretarias do governo, como de Agricultura, municipais e estaduais, e em empresas que dão assistência técnica no ramo agrícola.

Ele pode se dedicar, também, em áreas comerciais, como cuidar do comercio de produtos agrícolas cultivados em pequenas propriedades rurais, consultoria, como orientação na transição do modelo agrícola convencional para sistemas com menos impacto ambiental, na produção e coordenação de áreas da agricultura sustentável, e na supervisão da qualidade produtiva e que vai até a distribuição.

Além dessas áreas, esses profissionais podem se dedicar na administração de propriedades rurais, em cooperativas e associações que trabalhem com sustentabilidade voltada à agricultura, podem também avaliar de maneira ativa o solo, para detectar vestígios de defensivos agrícolas e de materiais e produtos que afetam os processos da produção orgânica e tratar diretamente das certificações de produtos orgânicos.

Comer alimentos mais saudáveis tem se tornado cada vez mais uma tendência e esse fato ajuda a aquecer ainda mais o mercado para os profissionais da agroecologia, já que isso faz com que a procura por alimentos orgânicos aumente e dessa forma, também, eles sejam requisitados na produção e distribuição desse tipo de comida.

Atualmente o plantio de alimentos orgânicos ainda está restrito aos pequenos produtores, e para ajudar a desenvolver e planejar o ciclo das lavouras para aumentar o lucro e viabilizar esses processos sustentáveis, o agroecólogo é a escolha certa desses produtores, já que eles são os responsáveis ativos e capacitados para mostrar os melhores caminhos.

Conclusão

O estudante que busca essa área de atuação como bacharel encontrará no curso uma mescla de aulas práticas e teóricas que aprimoram os conhecimentos em zoologia, ciências florestais, botânica e outros ramos da biologia. Já o tecnólogo pode abranger matérias específicas de extensão rural e sistemas de produção sustentáveis e que podem incluir, também, estudo das características socioeconômicas de regiões específicas.

Como em todas as áreas, para se tornar um agroecólogo é importante dedicação e gosto pela profissão, que apesar de ter um curso um pouco longo, pode proporcionar satisfação não só profissional, mas, também, social, pois ajuda o planeta e ensina e garante as próximas gerações um mundo mais habitável não só para os homens para todos os seres que aqui vivem.