Agricultura orgânica o que é? E qual sua importância na sociedade?

O que é Agricultura Orgânica

Em uma sociedade cada vez mais industrializada e automatizada, a palavra orgânica parece ser um contrassenso. Agricultura orgânica, então, é considerada um luxo exótico para algumas pessoas menos informadas.

Contudo, como todas as grandes ideias, a agricultura orgânica é mesmo um caminho na contramão. Afinal, quem há 30 anos atrás poderia considerar relevante andar com um telefone no bolso, por exemplo?

Por isso, é preciso entender o que é a agricultura orgânica e como ela pode ajudar a construir o mundo para o qual caminhamos.

O que é agricultura orgânica?

Basicamente, a agricultura orgânica é o encontro do novo com o antigo. Isso se dá porque, no domínio da agricultura orgânica, o foco está na produção de alimentos sem o uso de fertilizantes sintéticos ou agrotóxicos. Nesse sentido, ela vai ao encontro do passado e recupera o modo dos antigos de cultivar alimentos, centrando na qualidade e na necessidade de produzir comida saudável, e não, alimentos envenenados.

Mas e o elemento novo, onde se encontra? A agricultura orgânica tem buscado desenvolver técnicas de cultivo, visando a produtividade não-predatória do solo.

Ao banir o uso de fertilizantes sintéticos, esse tipo de agricultura foi atrás de outras formas de adubação como compostagem, minhocultura e adubação por meio de leguminosas que fixam o nitrogênio no solo, conhecida também como adubação verde.

Conheça os benefícios da adubação verde na produção orgânica. http://www.sitiopema.com.br/adubacao-verde-reduzir-custos-aumentar-produtividade/

Assim, os fertilizantes sintéticos deram lugar aos fertilizantes naturais e ao uso da tecnologia e dos conhecimentos modernos para ter produtividade.

Os agrotóxicos também são eliminados e dão lugar a alternativas mais sustentáveis como o uso de predadores naturais das pragas da lavoura.

Principais diferenças entre a agricultura orgânica e a agricultura tradicional ou convencional.


A principal diferença é sem dúvida conceitual. Enquanto, a agricultura convencional foca na quantidade, a agricultura orgânica foca na qualidade dos alimentos. Esse raciocínio poderia levar a pensar que a agricultura orgânica não é viável no longo prazo, mas o fenômeno é, justamente, o contrário.

O que não conseguirá se sustentar no futuro são as técnicas predatórias da agricultura tradicional. Peguemos como exemplo, o uso do solo.

A agricultura tradicional não se preocupa com a rotatividade de culturas e utiliza técnicas como a aração, promovendo uma grande movimentação do solo. Além disso, o uso de pesticidas e agrotóxicos leva a um empobrecimento do solo e a poluição dos lençóis freáticos e da água.

Na agricultura orgânica, o solo é entendido como um organismo vivo e o interesse é fazê-lo produzir de maneira eficiente, mas sem prejudicar sua biodinâmica para que ele possa continuar produzindo.

Principais vantagens da agricultura orgânica

Poderíamos dizer que a maior vantagem é em detrimento da modalidade tradicional de agricultura, é o fato de que ela preserva o solo e as fontes de água, constituindo-se como uma forma de agricultura menos danosa ao meio-ambiente.

Mas dizer isso, seria como chover no molhado.

A grande vantagem da agricultura orgânica é qualidade dos alimentos que ela produz. O sabor, a textura e o frescor dos vegetais, hortaliças e frutas orgânicas não se comparam aos produzidos pela agricultura tradicional.

Não é à toa que os mais renomados chefes de cozinha têm dado preferência aos alimentos orgânicos, não só como forma de fomentar os pequenos produtores locais, mas também para oferecer bons pratos para seus clientes.

Conhecer mais sobre agricultura orgânica é uma forma de entender para onde caminha o futuro da agricultura.