Melhoramento Genético em Bovinos Leiteiros e de Corte

melhoramento genetico bonivo leiteiro corte

A pecuária brasileira sempre foi considerada a mais produtiva do mundo. A partir da introdução do gado zebu no Brasil Central, junto com avanços tecnológicos, o rebanho brasileiro garantiu lugar entre os melhores para importação.

Além disso, a melhoria na genética do rebanho foi uma das maiores contribuições da ciência na atualidade. Avanços como a fecundação in vitro e a produção de embriões fizeram com que o Brasil passasse a ser exportador de genética superior.

O melhoramento genético bovino, está entre as técnicas para garantir a competitividade no mercado da pecuária, aumentando os lucros da propriedade e a produtividade do rebanho, o que é o objetivo de todo produtor.

Dessa forma, o artigo a seguir do Blog Sítio Pema vai explicar melhor o assunto, assim como mostrar alguns métodos, como eles funcionam na prática e por que é benéfico para a produção de carne e de leite.

O que é o melhoramento genético bovino?

Melhoramento genético bovino é um método que visa melhorar a qualidade da próxima geração de um rebanho, sendo ele de corte ou de leite. Essa melhoria faz com que a produção seja mais eficiente, tanto no volume produzido quanto no valor de mercado.

O melhoramento é feito através de um processo tecnológico de seleção e reprodução de animais, como inseminação artificial, fertilização in vitro e transferência de embriões. Nestes processos os genes desejados são selecionados pelo pecuarista.

Esse método também reduz as chances de que os genes indesejáveis sejam passados adiante, diminuindo os prejuízos. Essa escolha, junto com a possibilidade de selecionar bons genes para a produção, constitui a grande vantagem para o produtor.


Benefícios da seleção de genes

Como foi falado acima, o maior benefício em usar o melhoramento genético bovino, é o poder de escolha das características do rebanho. A partir da seleção é possível definir quais são as prioridades para cada contexto, buscando sempre uma produção mais lucrativa.

No gado de corte, por exemplo,essa técnica permite que o rebanho tenha um crescimento ágil, facilitando o ganho de peso.

Além disso, é possível obter um rebanho que ofereça uma carne de melhor qualidade, acelerando o tempo de abate. Dessa forma, o produtor tem menor custo de produção e um maior lucro pela qualidade do produto comercializado.

Já no gado de leite, essa melhora se dá na seleção de genes de acordo com o leite que vai ser produzido. Um leite A2A2, por exemplo, tem um valor melhor de mercado e um público maior.

Identificar e selecionar o rebanho produtor de leite é essencial para uma melhor colocação do produto no mercado. Tanto quanto no gado de corte, a qualidade do leite pode ser atestada por essa seleção genética.

Junto a estas vantagens ainda temos:

  • Padronização do rebanho;
  • Melhor controle sobre os dados dos animais;
  • Redução e controle sobre doenças sexualmente transmissíveis;
  • Melhor desempenho, resistência e longevidade dos bovinos, entre outros pontos.

Métodos de seleção bovina: por onde começar

Para começar a utilizar melhoramento genético em um rebanho, o primeiro passo é o planejamento estratégico. Escolher e priorizar os genes que são mais importantes para a produção é fundamental.

Existem diversas formas de seleção, onde são considerados os valores fenotípicos individuais de um determinado bovino, ou então, os fenotípicos dos parentes mais próximos.

Podendo ser a seleção por antepassados, por parentes ou até pela progênie. Entretanto, o método mais utilizado é a seleção individual do bovino, antecipando seu genótipo com base em seu fenótipo.

Ferramentas de seleção bovina

Existem pelo menos quatro principais ferramentas biotecnológicas para melhoramento genético bovino. Temos: a inseminação artificial (AI). a inseminação artificial em tempo fixo (IATF), a transferência de embrião (TE) e a fertilização em vitro (FIV).

A ferramenta com menor custo, sendo a mais usada por pequenos produtores, ou até mesmo por aqueles que estão começando a utilizar esses métodos, é a IA. Nesta ferramenta é detectado o cio da fêmea e inserido o semém do doador com características almejadas.

Por outro lado, o método IATF não leva em conta o cio, mas a sincronização da ovulação. Isso acontece através de protocolos hormonais, fazendo com que a inseminação dure apenas um dia. Vale lembrar que essa forma de inseminar exige mão-de-obra especializada, além de um maior volume de materiais de produção.

Há ainda a transferência de embrião como opção para o pecuarista. Nesse método ocorre a difusão do material genético das fêmeas superiores. Estas são acasaladas com reprodutores que têm capacidade de fazer o melhoramento genético.

Por fim, a fertilização in vitro é a opção mais recente apresentada pela agropecuária. Essa modalidade consiste na produção e manipulação das gametas fora do organismo materno, utilizando outros recursos da ciência.

IATF ou IA

Uma das vantagens do melhoramento genético bovino é a escolha no método adotado. Na inseminação artificial feita nos moldes tradicionais, o produtor deve fazer o procedimento durante o período de cio da vaca. Esse período é bastante variável e sofre impacto de diversas questões, como alimentação e ordenha.

No entanto, é possível adaptar o período de fertilização da fêmea através da inseminação artificial por tempo fixo. Com dia e horários escolhidos, o pecuarista faz a terapia hormonal da vaca, fazendo a aplicação de hormônios, além da indução ovariana.

Dessa forma, podemos dizer que a IATF é interessante para aqueles produtores que desejam ter um rebanho com cio sincronizado, criando padrões de reprodução e gerando organização no melhoramento genético bovino. No entanto, é possível fazer tal melhoria a partir do ciclo natural do animal, sempre com acompanhamento veterinário.

Conclusão

Como vimos, existem algumas técnicas de melhoramento genético que fazem com que o rebanho bovino, seja de corte ou de leite, apresentem um melhor desempenho.

A implantação desse método, com um bom planejamento, pode ser um passo decisivo na qualidade do gado produzido. Assim como um avanço dentro do mercado internacional. 

Com conhecimento avançado no mercado da agropecuária, o Sítio Pema vem trabalhando para apresentar as melhores técnicas e soluções para uma melhor produtividade. Entre em contato conosco para solucionar qualquer dúvida sobre o tema.