A evolução do Capim Braquiária para a pecuária brasileira

Braquiária Pastagens Sítio Pema

Há certos tipos de pastagens que têm outras funções além de alimentar o rebanho. Evitar a erosão do solo e preservar a umidade da terra são dois dos motivos para o plantio de alguns capins na agroecologia.

A Braquiária é, portanto, um dos capins mais tradicionais cultivados nas lavouras brasileiras. Com diversas espécies e fácil adaptação ao ambiente, o capim é ainda uma fonte poderosa de alimentação para o gado, seja ele de corte ou de leite.

Dessa forma, no artigo a seguir do Blog Sítio Pema vamos tratar sobre a Braquiária, os principais tipos do capim, os benefícios para a agroecologia, para o rebanho, bem como as características de plantio deste pasto.

O que é braquiária

Originária das regiões africanas tropicais, como Zaire e Kenya, a Braquiária é um gênero botânico de gramínea que foi introduzida no Brasil como uma espécie de forrageira. Sendo que no início foi mais utilizada no Cerrado brasileiro.

Com cerca de 80 espécies dentro desse gênero, a Brachiaria é um capim que possui também muitas versões híbridas. Sendo o uso muito apreciado como a melhor pastagem para bovino, ajudando na engorda do gado.

E mais, como planta de cobertura, ela é ótima para o solo. Ajuda no desenvolvimento de algumas culturas, como a do café e do milho. E serve como recuperação para solos, tanto em um pastejo rotacionado, quanto na rotação de cultura.


Principais tipos de capim braquiária

Dentre as diversas espécies utilizadas no Brasil como forragem e como pastagem, as variações de brachiarias mais utilizadas nos solos brasileiros são: Arrecta Napper, Humidicola, Mutica, Decumbens e Brizantha.

Com características em comum, como o entrelaçamento das raízes, alto vigor de rebrota e aumento de nutrientes no solo. Este gênero é uma ótima cobertura para o solo, além de apresentar boa tolerância a terrenos ácidos e de baixa fertilidade.

Porém, cada espécie dentro do gênero Brachiaria possui atributos e benefícios de utilidade próprios. Assim, é necessário conhecer a propriedade onde ela vai ser inserida para aproveitar o melhor de cada uma dessas espécies citadas.

Brachiaria decumbens

A Brachiaria decumbens, também conhecida como braquiarinha, foi a primeira desse gênero a ser introduzida no Brasil. Ela apresenta um crescimento intensivo que cobre o solo rapidamente. O principal uso deste capim acaba sendo em terrenos de topografia de regiões montanhosas.

Sua temperatura ideal de crescimento é de 30°C a 35°C, e tolera bastante a seca. Embora ela seque em regiões que não tem chuvas no período seco, ainda pode ser armazenada e utilizada com feno.

Além disso, se adapta bem em relação aos solos de baixa fertilidade, respondendo bem à adubação. E transforma, desde que bem drenada, áreas de até 1750 metros acima do mar em áreas de textura arenosa ou argilosa.

Brachiaria brizantha

A Brachiaria brizantha, capim Marandu, ou ainda como popularmente é conhecida: braquiária ou braquiarão, é uma das espécies de Brachiaria que mais apresenta adaptação climática.

No entanto, esta espécie não aguenta solos encharcados e a sua temperatura ideal também é de 30° C a 35°C. Ela suporta altitudes de até 3 mil metros, vários meses de seca, sombreamento e até mesmo fogo.

Estas características fazem do capim Marandu a Brachiaria mais utilizada nos pastos brasileiros, com volume em torno de 50% de uso. Dentre os locais mais adequados para o uso estão regiões acidentadas, mesmo que necessite de um cuidado maior, devido às erosões e o manejo do pastejo.

Um novo cultivar lançado pela Embrapara de B. brizantha é a cultivar BRS Paiaguás uma evolução do BRS Piatã. Lançada em 2013, a principal vantagem da BRS Paiaguás é durante o período seco, quando apresenta maior acúmulo de forragem de melhor valor nutritivo,

Brachiaria mutica

A brachiaria mutica ou, mais popularmente conhecida como capim-angola ou bengo, é a que mais se adapta às áreas encharcadas, sendo praticamente a única opção em terrenos de várzea.

Essa planta de cobertura tem uma baixa fertilidade, dependendo da disseminação através de pedaços de estolões. E seu crescimento é enfraquecido, embora chegue até os três metros de altura.

O bengo necessita de um solo fértil, por isso, a adaptação a solos úmidos. Sua palatabilidade é boa para o gado e muito nutritiva. Apresenta baixos teores de fibra e não resiste a uma pastejo muito intenso.

Benefícios da brachiaria

Como já foi mencionado nos tópicos acima, um dos principais benefícios da brachiaria é que constitui em uma ótima pastagem para o rebanho bovino. Tanto quanto é uma boa planta de cobertura para enriquecer o solo.

Estas duas vantagens se devem por ela possuir uma grande variedade, com características próprias e muito diversas. Outro benefício é que se pode encontrar dentro desse gênero: uma espécie que sirva para uma propriedade em um clima seco e outra para um terreno que fique em uma área alagada, por exemplo.

Confira algumas outras vantagens da escolha dessa planta para forragem da sua propriedade:

Para o rebanho

  • engorda do boi;
  • tem um rápido rebrotamento;
  • oferece opções mais palatáveis;
  • boa persistência em condições de intensa desfolhação;
  • bons nutrientes, entre outros.

Para a agricultura

  • Enriquecimento e proteção do solo;
  • Aumento da fertilidade, principalmente nas camadas superficiais;
  • Impede as perdas de nitrogênio, potássio e fósforo no solo;
  • Reduz a incidência de plantas invasoras;
  • Protege contra o mofo branco, entre outros benefícios.

Algumas desvantagens também podem ser citadas no uso desse gênero. Algumas espécies atraem a cigarrinha das pastagens, uma praga persistente nos pastos brasileiros. Então é necessário um cuidado maior em certas épocas do ano, e no tratamento contra esses animais.

Além disso, a brachiaria pode causar a requeima em rebanhos jovens, por estar sujeita a criação de algumas espécies de fungos. O que pode ser evitado com o uso de sementes sadias e tratadas.

Outros Gêneros de Capim

Além do capim Brachiaria existem outros gêneros que são muitos utilizados na pecuária brasileira.

Cynodon

Cynodon cultivares como Coast Croos (Estrela) Tifton-85. Coastal, Callie, Midland, Coastcross – 1, Coastcross – 2, Tifton 44, Tifton 78, Florakirk, Tifton 68, Tifton 85, Jiggs, Alícia, Russell, Grazer, Cheyene, Trifton 72 – 81 e outros.

Panicum maximum

Panicum maximum cultivares como Tanzânia, Mombaça. Massai, Aruanã, BRS Zuri, BRS Tamani entre outros

Pennisetum purpureum

Pennisetum purpureum cultivares como, Capim Napier, Capim Cameroon, Capim Elefante Roxo e famoso BRS Capiaçu.

Conclusão

Todos capins tem suas características e não existe o melhor, apenas aquele que melhor se adequa ao cenário do pecuarista, sua necessidade, clima, investimentos em pastagens e manejo.

O enriquecimento dos piquetes com capins e pastagens faz com que o manejo do gado de corte se torne mais fácil. Dentro do pastejo rotacionado, por exemplo, a brachiaria pode ser fundamental no período de trocas das estações, deixando o rebanho alimentado com nutrientes de qualidade, além de fortalecer o solo.

Além disso, em meio a outras plantações, como cana-de-açúcar e milho, a brachiaria é fundamental para o desenvolvimento da lavoura. Isso porque ela protege o solo da ação do sol e chuva, bem como mantém a temperatura adequada da terra.

No Sítio Pema o cultivo da agropecuária é sempre pensado de forma sustentável, buscando o melhor rendimento do rebanho, mas com uso consciente dos recursos naturais.

Entre em contato para tirar dúvidas sobre o tema.