Boi Verde, uma alternativa para a pecuária brasileira

Boi Verde

Boi verde é um conceito de como criar o gado de corte, um boi mais livre e com bom manejo e alimentação, embora seja diferente do boi orgânico.

Hoje sabemos do diferencial da carne brasileira, somente em 2021 foram 1.867.594 toneladas exportadas, segundo a Abrafrigo.

Outro ponto importante a destacar é o ágio pago no preço da arroba do boi para exportação. Onde esses animais apresentam um diferencial da carcaça, com maior gordura e marmoreio da carne.

Oferecer cortes de carne bovina com maior qualidade é um dos principais desafios dos pecuaristas. Essa melhora interfere não somente no valor de mercado e capacidade de exportação, mas também na forma como é feito o manejo dos animais.

Junto com isso há também a preocupação com o meio ambiente e o uso sustentável dos recursos naturais. Portanto, um conceito que vem ascendendo na pecuária que supre as duas demandas é o boi verde.

Diferentemente da pecuária europeia e norte-americana, que mantém animais em confinamento, o boi verde criado em pastos, alimentado por capim, que absorve emissões de carbono.


O que é boi verde?

O primeiro fato que devemos saber é que o boi verde não é um tipo de gado, é um conceito que independe da raça, grau de sangue ou idade do animal. Conceito este onde a criação do gado de corte é feita através de um sistema de manejo e pastagem mais livre e sustentável e com alguma suplementação em cocho.

O animal é criado solto no pasto e sua alimentação é baseada na plantação existente, com usos reduzidos ou inexistentes de agrotóxicos. Essa liberdade na pastagem torna a carne mais saudável, pois a base de alimentação do animal é mais vigorosa que os bois que ficam confinados.

Apenas nos últimos 90 dias antes do abate o boi verde passa a ficar confinado. Nessa etapa o animal deve receber no cocho alimentos como silagem com caroço de cereais, farelo de soja ou outros à base de grãos. Essa etapa final do manejo é o que dá a capa de gordura ideal e ajuda a conservar a carne, devido ao volume de proteína.

Diferença entre boi verde e boi orgânico

O boi verde não é o mesmo conceito que boi orgânico, pois tem diferenças específicas na criação de ambos. Enquanto o boi verde é caracterizado por ter uma pastagem livre, o boi orgânico necessita de uma suplementação orgânica e solo livre de agrotóxicos.

Para a criação de um gado orgânico, o pasto só pode receber adubo verde, e a nutrição desses animais deve ser no mínimo 80% orgânica. Além disso, não é permitido o uso de adubação química nas pastagens, como ureia, fósforo, potássio entre outros macronutrientes e micronutrientes, tampouco o manejo da pastagem através do fogo.

Nos dois tipos de criação, verde ou orgânica, o uso de vacinas oficiais obrigatórias é utilizado. Porém, o boi orgânico só recebe tratamento veterinário restrito a remédios fitoterápicos e homeopáticos.

Já o boi verde, permite uma nutrição que, embora vegetal, é proveniente da cultura tradicional, sendo que a pastagem pode ser manejada com fogo. Assim como o uso de métodos veterinários, como a transferência de embrião e uso de remédios alopáticos, também são permitidos.

Benefícios da criação de boi verde

Como já foi mencionado acima, a criação do boi verde é mais sustentável que a criação tradicional de gado. Esse é um dos maiores benefícios desse sistema, pois traz melhora para o meio ambiente, ao mesmo tempo que a questão da sustentabilidade está em alta no mercado.

A preferência do consumidor atualmente se dá para uma carne que seja mais saudável e que impacte menos a natureza. Sem contar que há a possibilidade de um abate mais cedo, que gera uma carne mais saborosa e uma produção mais rica.

Enquanto no cruzamento industrial, o animal fica pronto para o abate entre 18 e 24 meses, e pelo método tradicional leva quase 3 anos. O boi verde pode ser abatido precocemente com 17 a 21 meses ou, super precoce, entre os 13 e 16 meses.

Estas vantagens garantem uma melhor relação custo/benefício com lucros mais rápidos, menores custos de produção (mão de obra e instalações) e um mercado comprador mais receptivo, inclusive o internacional.

Boi verde uma pecuária mais sustentável

Como o boi verde utiliza um sistema de pastagem mais livre, o solo é trabalhado para obter um pasto mais saudável. Sistemas como o pastejo rotacionado podem ser utilizados para uma melhor produção e um solo com alimentação mais rica.

Além disso, pesquisadores começaram a perceber que a pastagem acaba absorvendo a quantidade de gás carbônico que a boiada emite. No processo de pastagem e novo crescimento, as plantas absorvem o carbono e ainda deixam um saldo positivo. Ajudando a combater o efeito estufa.

Esta prática de pecuária sustentável ainda traz mais vantagens para a natureza. Confira mais benefícios abaixo:

  • Redução no uso de agrotóxicos no plantio;
  • Permite o manejo saudável dos animais;
  • Recuperação do solo, caso use pastejo rotacionado;
  • Propicia um solo mais forte, com o uso correto de adubagem.

Boi verde: como criar

Para produzir carne de corte com o sistema de boi verde é necessário ter em mente que a produção será natural e ecológica. E que vai demandar um bom planejamento que aproveite as características da propriedade onde vai ser implantada.

Outro passo é a escolha da pastagem correta e do sistema de manejo que vai atender melhor a demanda do seu gado. Não há investimento altos em instalações, porém é necessário um cuidado especial na suplementação e na quantidade de pastagem disponível para o rebanho.

Do mesmo modo que conhecimentos sobre plantação e uso de fertilizantes mais naturais são exigidos. Em oposição a um manejo mais livre que exige menos mão de obra e em decorrência menos gastos.

Conclusão

Ao contrário do que se pensou durante muito tempo, é possível aliar a pecuária sustentável aos bons resultados comerciais. A implantação do boi verde no rebanho é um exemplo disso, mostrando que é possível reduzir o uso de agrotóxicos, alimentos industrializados e ainda assim melhorar o desempenho do gado de corte.

Outro ponto interessante nesse assunto é a valorização que o cultivo sustentável vem ganhando no mundo. A preservação do meio ambiente tem guiado o mercado internacional, o que faz com que o boi verde seja bem avaliado por diversos países.